Em Amsterdam, The Red Light District é um capítulo à parte

Um capítulo à parte em Amsterdam (Holanda) é o Red Light District, o bairro da Luz Vermelha, onde a prostituição é comprada por meio de vitrines e maconha e haxixe são consumidos dentro de coffee shops. Ao contrário do que muitos pensam, a utilização da maconha em locais públicos existe, mas é muito discreta. Vi pessoas fumando nas ruas, mas poucas. A lei que regulamenta o uso da maconha é muito clara e rígida também. Só podem ser vendidas algumas gramas para cada pessoa, os coffee shops não podem vender bebida alcoólica.

Ao fundo, o bairro da Luz Vermelha

Uma curiosidade, contada por um morador: as pessoas podem comprar a planta e cultivá-la em suas casas, mas não podem comprar a luz necessária para que a planta cresça, já que por ser um país frio, a luz do sol não é suficiente. Detalhezinhos que acabam impedindo o livre acesso a erva. Além disso, o bom senso dos holandeses faz com que a maconha seja utilizada de forma racional. Eles não fumam muito próximos a outras pessoas, tentam fumar em lugares mais abertos, respeitando os não-fumantes.

The Bulldog: um dos principais coffee shops da cidade

Eles também comercializam as sementes da planta. Em uma feira livre encontramos um “kit para iniciantes”. No pacotinho, todas as instruções para quem nunca plantou.

Amin, um jovem iraniano que nos contou várias curiosidades de Amsterdam

Em relação a prostituição, tive uma experiência ruim (e engraçada também). No mesmo bairro dos coffee shops têm as vitrines, onde as prostitutas se exibem e tentam atrair clientes. Eu, muito ingênua, comecei a filmar, de longe. As mulheres perceberam, eu desliguei a câmera, e, logo em seguida, uma delas jogou uma lata de cerveja na minha direção. Ufa, passou de raspão! Não que seja proibido filmar, mas elas não querem ser filmadas, já que a maioria vem de outros países e, normalmente, os familiares desconhecem o real trabalho delas na Holanda.

As sementes de maconha são vendidas junto com flores, em feiras livres

Amsterdam é tudo isso e muito mais. A principal dica pra quem vai pra lá é: se jogue nas ruazinhas da cidade, ande e contemple os prédios antigos, os belíssimos canais e pontes. A cidade é realmente apaixonante!

Anúncios

Sobre Vanessa Bellei

Duas irmãs que tem em comum a paixão por viagens.
Esse post foi publicado em Viagens e marcado , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Em Amsterdam, The Red Light District é um capítulo à parte

  1. celi disse:

    É mesmo linda esta cidade, na próxim vez que for para o lado de lá quero visitar estas ruazinhas.

  2. valeria disse:

    Nossa super diferente, deve ter sido otimo. Qual é a melhor época p ir p lá:: Que não esteje nem muito frio e nem muito lotado…

  3. Virgínia Vargas disse:

    Vá, obrigada pelas informações! Incuí Amsterdam na minha lista de lugares que quero conhecer! É bom saber que existem países onde o uso de certas substâncias tóxicas é controlado. Isso deve diminuir bastante a criminalidade… afinal, todos sabemos que a proibição do uso dessas substâncias não diminiui o consumo delas, apenas gera violência. Luto e sempre vou lutar à favor de uma vida saudável, livre de drogas e vícios e acho que o que dá mais resultado na diminuição do consumo é a educação da população. Mais uma vez, parabéns pelo Blog!

  4. Amsterdam realmente é um exemplo para o mundo, em relação ao controle do uso de drogas e em relação a educação do povo. Valeu muito a pena conhecer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s